O Livro

1. Introdução

Fazer o seu primeiro filme não vai ser difícil. Primeiro você vai encontrar uma boa história para ser contada. Talvez você mesmo imagine e desenvolva essa história, mas também pode pedir ajuda para um de seus amigos que gostam de escrever, de preferência aqueles que tiram as melhores notas em Redação. Não importa se ele é um chato. Pra fazer um filme você terá que engolir muitos sapos e aguentar pelo menos alguns chatos.

Ou quem sabe você lembra de um conto que leu e gostou, indicado por um professor de Literatura. Se o escritor morreu há mais de 70 anos, você pode usar essa história à vontade, contanto que depois dê o crédito para o defunto. Ele vai gostar. Se não gostar, não pode reclamar, então tá liberado. Você terá que adaptar esse conto para que ele vire um roteiro, mas isso é relativamente fácil, e você pode aprender lendo este livro.

Seu primeiro filme pode ser uma ficção, e nesse caso você  deve criar um roteiro que descreva todas as ações e os diálogos entre os personagens, geralmente interpretados por atores e atrizes. Mas também pode ser um documentário, que tem um roteiro bem diferente, com a apresentação do assunto do filme, uma explicação de como o tema será mostrado e uma lista das pessoas “de verdade” que serão filmadas. Vou falar com mais calma sobre isso daqui a pouco. De qualquer maneira, o roteiro é sempre o primeiro passo.

Depois você vai reunir algumas pessoas tão entusiasmadas quanto você pela ideia de fazer um filme. Essas pessoas podem ser seus irmãos, namorada, namorado, primos, colegas da escola, amigos do bairro ou companheiros de balada. Explique pra eles que, mesmo que o filme não fique muito bom, vai ser muito divertido trabalhar nele. Melhor que a balada! Isso não é bem verdade. Às vezes não é divertido. Pode até ser meio aborrecido. Mentir um pouco faz parte.

É possível que, quando você mostrar o roteiro, algumas pessoas da turma não gostem dele e digam que podem escrever coisa melhor. Ótimo! Se pelo menos uma delas estiver falando a verdade, o filme vai ficar mais bacana. Peça que elas tragam uma história num prazo razoável. Amanhã, por exemplo. Se alguém realmente trouxer uma história, leia e, se gostar, considere seriamente deixar a sua história para o próximo filme. O ideal é que você, seu colega roteirista e outras pessoas da turma trabalhem juntos para deixar o roteiro ainda melhor. E então todos se sentirão um pouco “donos” da história do filme.

Agora só falta essa turma se organizar, virar uma equipe e transformar a história em um monte de imagens e sons, captados por uma câmera e um microfone, e reunidos na edição de acordo com o que está escrito no roteiro. Isso vai levar um tempo e exigir esforço de todo mundo. Mais pessoas terão que ser incluídas no processo. Por exemplo, se for uma ficção, atores e atrizes. Algumas coisas vão funcionar bem, outras podem não dar certo. Prepare-se para algumas brigas, alguns namoros que vão terminar e outros que vão começar. A realização de um filme pode gerar fortes emoções.

 

próximo capítulo >